Blog do Fernando Mesquita

Insights, pensamentos e reflexões

Mês: julho, 2013

Basicamente – o retorno à estrutura nos estudos para concursos

No cotidiano de qualquer atividade, é fácil esquecer do que realmente importa. Pode ser em um relacionamento, no trabalho, nos estudos. Toda atividade tem seus pontos básicos, que no dia-a-dia acabam sendo negligenciados, quando poderiam muito bem ser utilizados como suporte quando não sabemos mais o que fazer.

Com os estudos, óbvio, isso não é diferente. Se você estuda há algum tempo para concursos, deve ter entendido que há 3 (quiçá 4) pontos que são os mais importantes e que englobam toda a preparação para os concursos. Falaremos disso em alguns parágrafos.

Mas é claro que o básico é fácil de esquecer, porque ele fica submerso em uma pilha de técnicas, habilidades, conceitos e sugestões que muitas vezes ouvimos. Termos jogados no ar, como “horas líquidas”, “mapas mentais”, “habilidades”, “áreas”… Tudo isso parece às vezes muito complexo, mas muitas das pessoas que passam em concursos – pasmem – não chegam a ouvir nada disso. Elas reconhecem, de forma quase intuitiva, que há essas quatro atividades – o básico – que coordenam a aprovação dos candidatos. Nomeei essa sequência, carinhosamente, de Ciclo EARA.

Um ciclo não tem fim. Ele continua indefinidamente, até que algum evento crie uma quebra na estrutura dele. No nosso caso, essa quebra é a aprovação no concurso desejado, que virá mais rápido do que você espera.

O ciclo EARA compreende Estudo -> Aplicação -> Revisão -> Adaptação. A lógica é simples:

Estudo é tudo aquilo que estabelece os primeiros contatos com um conteúdo. Você lê um livro, um artigo, tem uma aula.

Aplicação é a transformação do estudo em atividades. Exercícios objetivos, redações, questões discursivas. Como mostram diversos estudos sobre o assunto, a aplicação é fundamental no processo de fixação dos conteúdos estudados.

Revisão é o resgate do conteúdo estudado. Em um mundo ideal, nós passaríamos uma pequena parte do tempo apenas estudando e a maior parte do tempo aplicando e revisando aquilo que foi estudado. Isso porque é importante otimizar seu tempo, cuidar para que cada hora estudada seja uma hora armazenada, seja por meio de resumos, seja por meio de mapas mentais, comentários de questões, esquemas, desenhos, o que quer que funcione para você.

Adaptação, por fim, é o final e o reinício do processo e é uma fase que muitas pessoas negligenciam. Adaptação é fundamental para qualquer processo (e ainda vamos falar muito deles). Adaptação refere-se a aproveitar o que é bom, ajustar o que está errado e procurar reforçar aquilo que funciona, junto com descobrir novas práticas – e falo disso constantemente com os alunos do Coaching, mesmo que eles às vezes não percebam que se trata desse ponto específico).

O processo pode parecer complexo em princípio, mas é importante reconhecer que tudo é complexo pela primeira vez, até que se entenda o básico. E o básico é isso. Todo o resto está ali dentro, acredite ou não.

Fixe o básico. Quando tudo parecer estranho ou perdido, use-o como uma estrutura, como um porto seguro para reorganizar as ideias.

Bons estudos e sucesso,

Fernando Mesquita

Jerry Seinfeld e a estratégia da consistência

Jerry Seinfeld é um dos mais bem-sucedidos comediantes de todos os tempos.

É tido como um dos “100 comediantes de todos os tempos” pelo site Comedy Central. Foi também co-criador e co-escritor de Seinfeld, uma longa série que recebeu inúmeros prêmios e alguns dos mais importantes da televisão americana.

De acordo com a revista Forbes, Seinfeld alcançou seu pico de rendimentos quando recebeu 267 milhões de dólares apenas em 1998. 10 anos depois, em 2008, ainda estava ganhando algo em torno de 85 milhões por ano.

Entretanto, o mais impressionante sobre esse artista não são os prêmios, os valores que recebeu ou os melhores momentos; é a incrível consistência de tudo. Episódio após episódio, ano após ano, ele desempenha, cria e entrete com padrões incrivelmente altos. Jerry Seinfeld produz com um nível de consistência que a maioria de nós deveria querer levar para o trabalho.

Compare os resultados dele com a situação em que você e eu normalmente nos encontramos. Nós queremos criar algo fantástico, mas temos de lutar por isso. Nós queremos estudar bem, alcançar nosso objetivos, passar naquele concurso concorrido. Mas, por alguma razão, acabamos procrastinando isso e deixando nossos sonhos de lado sem razão aparente.

Qual a diferença? Qual estratégia Seinfeld usa para acabar com a procrastinação e produzir resultados de qualidade. O que ele faz em cada e em todos os dias que a maioria das pessoas não faz?

Não tenho certeza sobre tudo que ele faz, obviamente, mas ao longo dos anos li e ouvi diversas histórias que tentavam explicar as razões de seu sucesso. Recentemente, ouvi uma que tentava explicar os segredos por trás de sua produtividade, seu desempenho e sua consistência.

Vamos falar sobre isso e como você pode usar a “estratégia Seinfeld” para acabar com a procrastinação e conseguir mais de sua vida.

Brad Isaac era um ator iniciante no circuito de comédia. Uma noite, ele foi se apresentar na mesma casa em que Jerry Seinfeld fazia uma apresentação. Em uma entrevista algum tempo depois, Isaac contou o que aconteceu quando ele encontrou Seinfeld no camarim e perguntou o se ele tinha alguma dica para “um jovem comediante”. Conta Isaac:

Seinfeld disse que a melhor forma de ser em sucedido era criar piadas melhores e a melhor forma de criar piadas melhores era escrever todos os dias.

Ele me disse para arrumar um calendário onde coubesse o ano todo e que o pendurasse na parede. Depois, eu deveria arrumar um pincel atômico vermelho. Para cada dia em que eu cumprisse minha tarefa de escrever, deveria marcar um X no dia correspondente.

Ele disse: “depois de alguns dias, você terá começado a criar uma corrente de produção. Mantenha-se nessa corrente e ela crescerá a cada dia. Você verá a corrente se desenvolvendo a cada semana, a cada mês. A partir daí, seu único trabalho é não quebrar a corrente.

Perceba que Seinfeld não falou absolutamente nada sobre resultados.

Não importa se ele estava motivado ou não. Não importa se ele estava escrevendo boas piadas ou não. Não importava se aquilo que ele estava escrevendo seria usado em alguma apresentação. A única coisa que ele estava fazendo era “não quebrar a corrente”.

E esse é um dos segredos mais simples da impressionante consistência e produtividade de Seinfeld. Por anos, ele se focou simplesmente em não quebrar a corrente”.

Mas Fernando, e eu?

Pois é. Aí entra você

Como acabar com a procrastinação.

Os melhores profissionais de cada ramo – atletas, músicos, estudantes, artistas – são mais consistentes que seus colegas. Eles trabalham dia após dia, comprometem-se com o que fazem enquanto todo mundo cede às tentações e às urgências do dia e trava uma constante batalha entre a procrastinação e a motivação.

Enquanto a maioria das pessoas sente-se abatida após um desempenho ruim, um dia cansativo ou uma briga familiar, os melhores ignoram os problemas do dia e voltam ao trabalho no dia seguinte – procurando sempre fazer o que saíram de cada para fazer.

A estratégia de Seinfeld funciona porque ajuda a tirar o foco de cada dia e ajuda a atentar para o processo. E o processo não se importa se você está se sentindo bem, inspirado, se você é extremamente brilhante ou inteligente ou se você acertou 93% das questões que fez no dia. Ele só se importa com “não quebrar a corrente”.

O que você precisa? De um grande calendário (que você mesmo pode fazer em casa, usando uma ou mais folhas A3 ou A2) e um pincel vermelho para começar sua cadeia.

Tarefas certas

Talvez você tenha dificuldades para escolher tarefas e priorizar os estudos. Novamente, o mais importante nesse momento é começar. Encontre um site de questões, compre um livro, contrate um curso do Ponto. Faça alguma coisa que vá te deixar mais próximo de seu objetivo.

Cada pessoa deve traçar seu próprio nível de exigência. Para alguém que está começando agora, simplesmente sentar e ler um capítulo durante X dias já é uma grande evolução, enquanto para os estudantes avançados, estudar menos de 2 horas e fazer menos de 100 exercícios pode ser inaceitável. Entretanto, encontre suas próprias razões e cuide de sua corrente.

O domínio da expertise

Qualquer grande conquista começa com pequenos passos. Muitas pessoas sentem-se perdidas quando começar a estudar para concursos por conta do suposto tamanho de sua tarefa pela frente. “Poxa, eu quero ser __________ (seu cargo aqui) e para isso preciso fazer 128 tarefas ao longo dos próximos ___ anos”.

Grandes tarefas exigem grandes esforços, mas precisamos “enganar” nossa cabeça para evitar a paralisia da análise.

Expert é a aquela pessoa que é referência em seu campo. Mas poucas pessoas começam sua caminhada com o pensamento “Preciso dominar o campo X”. Pelo contrário, começamos estudando para reconhecer o tema, nos afeiçoar a ele e só então vem o desejo de entender o conteúdo e “amá-lo” a ponto de querer saber mais e mais.

A chave do sucesso é a consistência. Mantenha-se consistente e chegará longe.

%d blogueiros gostam disto: